CMCG elege Mesa Diretora para Biênio 2019/2020

A  Câmara Municipal de Campina Grande elegeu, na sessão ordinária dessa quarta-feira (29), a nova Mesa Diretora para o segundo Biênio. A vereadora Ivonete Ludgério (PSD) foi reeleita como presidente, enquanto que a vice-presidência ficou com o vereador Marinaldo Cardoso (PRB). A chapa que vai comandar o Legislativo Campinense em 2019 e 2020 foi eleita por maioria absoluta, com 21 votos a favor e dois votos contrários.

Também por maioria absoluta, na mesma sessão ordinária, foram eleitos mais dois membros para compor a atual diretoria, uma vez que, após a alteração na redação do artigo 40 da resolução Nº 054/2014, ficou definido o aumento de mais dois membros na Mesa. O vereador Janduy Ferreira (PTdoB) foi escolhido como 3º vice-presidente. Já o cargo de 3º secretário ficou com Saulo Noronha (SD).

Os vereadores Saulo e Janduy tomarão posse na sessão ordinária subsequente, ou seja, nessa quinta-feira (30). Já a pose da Mesa Diretora eleita para o segundo Biênio acontecerá no dia 1º de janeiro de 2019. Nessa eleição, penas uma chapa se inscreveu. O líder da oposição, Galego do Leite (PTN), e o vereador Olímpio Oliveira (PMDB), foram os únicos que votaram contra.

A presidente reeleita Ivonete Ludgério afirmou que o trabalho já realizado na Câmara durante a sua gestão será mantido durante todo o seu mandato, sempre em benefício do povo campinense. “Acredito que essa antecipação da eleição é o retrato da confiança que a Mesa Diretora possui em continuar esse trabalho. As prioridades serão as mesmas, apoiando o governo municipal para que a cidade cresça mais e criar leis que tragam benefícios, fazendo com que essa Casa seja cada dia mais do povo”, disse.

A presidente ainda informou que, a partir da próxima sessão, será votada uma resolução para que haja uma reforma no Regimento Interno e o artigo que destina 20% de aumento no salário dos vereadores que fazem parte da Mesa Diretora seja retirado, para não gerar nenhum valor econômico a mais no orçamento da Casa.

A Mesa Diretora para o Biênio 2019/2020 ficou assim definida:

Presidente: Ivonete Ludgério
1º Vice-Presidente: Marinaldo Cardoso
2º Vice-Presidente: Bruno Faustino
3º Vice-Presidente: Janduy Ferreira
1º Secretário: Márcio Melo
2º Secretário: Saulo Germano
3º Secretário: Sargento Neto

Dirp./CMCG

João Dantas pede restauração da estação ferroviária abandonada no bairro do Centenário

O vereador João Dantas (PSD) apresentou requerimento na Câmara Municipal de Campina Grande solicitando por parte da Prefeitura Municipal de Campina Grande a restauração e utilização para prestação de algum serviço público, da estação ferroviária localizada no bairro do Centenário.

Em 1957, quando comemorava-se 50 anos da chegada do trem à Campina Grande, teve início a construção de uma nova estação ferroviária; buscava-se mais espaço para as manobras das máquinas e, consequentemente, a expansão dos serviços ferroviários locais.

João Dantas justifica afirmando que a estrutura em art decó tem um potencial enorme e atualmente está subutilizada, servindo apenas de abrigo para marginais e usuários de drogas. “O prédio além de muito bonito, está localizado em uma grande área aberta, podendo ser utilizada como sendo mais um ponto de partida para o Trem do Forró no período junino. Além disso, o local também pode abrigar algum serviço da Prefeitura Municipal”. Explica.

O requerimento foi aprovado por unanimidade em plenário e será encaminhado para o prefeito Romero Rodrigues.

***Conteúdo de responsabilidade da assessoria

Vereador recorre ao Ministério Público para retirar as crianças dos semáforos em Campina

O vereador Olimpio Oliveira (PMDB) cobrou na manhã desta quarta-feira (29), políticas públicas para crianças em situação de rua em Campina Grande. Neste sentido o vereador protocolou ofício junto ao Ministério Público cobrando ações da Prefeitura Municipal de Campina Grande, no intuito de estabelecer políticas públicas para as crianças e adolescentes nesta situação.

O ofício encaminhado ao Dr. Alessandro de Lacerda Siqueira, Promotor de Defesa da Criança e do Adolescente, denuncia uma prática comum nas ruas da cidade, que consiste na concentração de inúmeras crianças e adolescentes nos semáforos, os quais estão ‘trabalhando’ como limpadores de para-brisas de automóveis e/ou pedindo esmolas, quando na opinião do parlamentar deveriam estar nas escolas.

“É lamentável constatar, que, mesmo com um robusto marco legal para proteger essas crianças e adolescentes, cenas como estas sejam tão comuns nas ruas de Campina Grande. Assim, solicito a Vossa Excelência que notifique os responsáveis pelos órgãos públicos incumbidos de fazer valer os direitos dessa população, socialmente vulnerável, inclusive, adotando ações para que os programas governamentais alcancem essa população”, disse Olimpio.

***Conteúdo de responsabilidade da assessoria

Vereador Janduy Ferreira parabeniza os 34 Anos do Conjunto Álvaro Gaudêncio “Malvinas”

No dia em que completou, mais um ano de resistência, vitória e cidadania, o Conjunto Álvaro Gaudêncio, mais conhecido por Malvinas, foi homenageada na Câmara Municipal de Campina Grande, pelo vereador Janduy Ferreira do PT do B. “Aos 34 anos, o Bairro das Malvinas, até hoje é considerado, um dos mais bem sucedidos processos de organização popular, que resultou na habitação e dignidade para mais de 40 mil habitantes”.

De acordo com o vereador Janduy Ferreira, que tem programa semanal, na Radio comunitária das Malvinas, bem como, tem inúmeros e importantes apoiadores de seu mandato residindo no bairro, a história das Malvinas, ao longo destes 34 anos, só mostrou que a vitória, após a ocupação, extrapola de longe as batalhas em nosso país, por habitação ou terra, pois, na época, as pessoas envolvidas na coordenação da ocupação, não tinham motivações políticas, nem partidárias para invadir e ocupar as casas.

“O movimento, que levou a ocupação em 23 de março de 1983, nada teve com interferência política, e sim, eles foram movidos por um sentimento puro, de pais e mães de famílias, que não suportavam mais pagar aluguel, ou viver de favores, nas casas de seus parentes. Na época, a maior motivação das famílias, foi à vontade de conquistar uma moradia, mesmo que, para isto, durante o movimento de ocupação, fossem ameaçados pelas forças policiais, ou sofressem privações, por agua, luz e alimentação.” destacou Janduy Ferreira.

Para o parlamentar, após estes 34 anos da ocupação e vitória das famílias, que até hoje residem nas Malvinas, todos nós campinenses podemos comemorar e parabenizar este feito histórico, ressaltando a organização popular, que gerou na época, muita aflição e lagrimas. Passados os anos e as aflições da ocupação, hoje o Bairro das Malvinas, é tão consolidado, que é considerado pelos números do IBGE, mais populoso, do que 200 municípios paraibanos, ou seja, dos 223 municípios da Paraíba, apenas doze (12) têm mais de 40 mil moradores.

“Parabéns aos moradores do Conjunto Álvaro Gaudêncio, Malvinas, pois, além de parabenizar nesta data, ponho a disposição nosso Gabinete, para oferecer e garantir aos moradores das Malvinas, que intercederei junto aos demais vereadores e aos poderes públicos, pela melhoria de vida dos seus habitantes, assim como, continuarei vigilante e solidário aos problemas do bairro, sugerindo ao Executivo, alternativas e soluções para melhorias na infraestrutura daquele imenso e amado Bairro” parabenizou Janduy Ferreira.

Veja como tudo começou

No início da década de 1980, as casas do conjunto habitacional Bodocongó II, intitulado por Conjunto Álvaro Gaudêncio, começavam a ser construídas pela CEHAP (Companhia Estadual de Habitação Popular), seguindo ordens do então Governador Wilson Braga, que na ocasião havia conseguido verbas do governo federal para este fim.

Ao término das construções, no início de 1983, o Conjunto não apresentava infra-estrutura (água, luz, esgoto sanitário) para que fossem entregues as casas, por meio de sorteio, aos servidores estaduais devidamente cadastrados.

No dia 23 de março de 1983, iniciou-se a invasão das casas por pessoas não cadastradas na CEHAP, que alegavam abandono das casas e que portanto estariam naquele momento apossando-se das mesmas. Na tentativa de impedir a invasão, foi formado um cerco policial que não obteve resultados positivos. Naquele instante, o então governador do estado Wilson Braga, ordenou que as forças policiais impedissem que mais pessoas entrassem no conjunto, que até então ainda estava cercado (com arame farpado) e só existia uma única entrada (por meio de uma espécie de “porteira”).

Logo após, pensou-se numa forma de retirar os invasores da seguinte maneira: seria proibido que alguém saísse ou entrasse do conjunto, fazendo com que os invasores ficassem isolados, sem alimento e água, e, assim, desistissem das casas recém invadidas. Na época, o governo municipal impediu que esse plano fosse concretizado, e enviou alimentos e água através de carros-pipa para os invasores.

Alguns meses depois, a CEHAP viu que não haveria outra maneira a não ser cadastrar os invasores e fazer com que eles pagassem as prestações das casas. Foi feito então o cadastro de cada morador num posto de atendimento instalado nas proximidades, mais precisamente na Escola Estadual Alceu do Amoroso Lima. Funcionários passaram de casa em casa avisando aos moradores que fizessem o cadastramento e assim regularizassem sua situação junto à CEHAP.

Em seguida, por reivindicação dos moradores, foi instalada a rede elétrica, seguida da rede de água e esgotos, fazendo com que o Conjunto tivesse a infra-estrutura mínima para que pudesse atender os moradores.

Na mesma época da invasão (1983) estava acontecendo um conflito militar nas Ilhas Falkland, popularmente conhecidas como Ilhas Malvinas, localizadas ao extremo sul da América Latina, daí a origem do nome do bairro: Malvinas.

***Conteúdo de responsabilidade da assessoria

Vereadores adequam Regimento Interno da CMCG e ampliam número de membros da Mesa Diretora

A sessão ordinária realizada na Câmara Municipal de Campina Grande, na manhã dessa terça-feira (28), votou projetos de resolução que alteraram o Regimento Interno da Casa e fez o reordenamento da Mesa Diretora. Entre as mudanças, que foram aprovadas por maioria absoluta, está o aumento do número de membros da diretoria, que passou de cinco para sete vereadores.

O motivo principal é dividir as atribuições e ampliar a participação dos representantes do povo nas decisões atribuídas à Mesa Diretora. De acordo com a presidente Ivonete Ludgério (PSD), desde o ano de 2011, quando foram aumentados os números de vagas para vereadores na Casa de Félix Araújo, passando de 16 para 23 parlamentares, já era necessário que a Mesa Diretora também se adaptasse a esse aumento.

“Quando chegamos aqui nós tínhamos 16 vereadores e a Mesa tinha cinco membros. Hoje somos 23 e com esse aumento de número de vereadores eu acredito que que a Mesa também deve aumentar para dar um suporte melhor nos trabalhos”, explicou a vereadora.

Ivonete esclareceu que os membros da Mesa Diretora não recebem nenhum valor a mais em seus salários para fazer parte da administração, apenas fortalecem a gestão e a transparência do Poder Legislativo. “Todos imaginam que nós estamos aqui apenas pelo o dinheiro, mas isso não existe. Foi feita uma reforma no regimento e foi colocado que os membros da Mesa receberiam 20% do valor do salário do vereador quando assumisse os cargos, mas isso nunca foi pago e com essa mudança do regimento nós vamos retirar também essa situação”, anunciou.

Os vereadores também votaram o projeto de resolução Nº 027/2017, que alterou a redação do artigo 40 da resolução 054/2014 e determina a antecipação da renovação da Mesa Diretora para o Biênio 2019/2020, que será realizada em sessão subsequente à aprovação da matéria, ou seja, a votação será na sessão ordinária dessa quarta-feira (29) e terá a posse realizada no dia 1º de janeiro de 2019.

O prazo para inscrições de chapas para o Biênio 2019/2020 é das 11h10 da manhã dessa terça-feira (28) até às 11h10 da manhã desta quarta-feira (29), com o total de vinte e quatro horas para que os vereadores possam organizar a documentação necessária e submeter a candidatura na Secretaria de Apoio Parlamentar. A sessão também contou com o retorno do vereador licenciado Teles Albuquerque, que estava ocupando a Secretaria de Esportes na Administração Municipal.

Dirp./CMCG

Alexandre do Sindicato junto a Comissão de Saúde visitam Hospital da FAP de CG

Dando sequência a série de visitas da Comissão de Saúde e Bem-Estar Social composta pelos vereadores Márcio Melo (PSDC), Rodrigo Ramos (PDT) e Alexandre do Sindicato (PHS), que assumem os cargos de presidente, membro e secretário da Comissão, respectivamente, dessa vez, a visita foi na Fundação Assistencial da Paraíba (FAP), localizada em Bodocongó.

Durante diálogos com o diretor da FAP, Helder Macedo, o vereador Alexandre do Sindicato, oportunamente, questionou sobre como o hospital tem realizado seus atendimentos, diante mesmo da discussão em torno do fechamento da ala pediátrica do hospital. “Eu e os outros vereadores da Comissão estabelecemos uma saudável conversa com o diretor da FAP. Ele nos mostrou as reais condições do hospital, de modo que o número de leitos e outros problemas que envolvem repasses de verbas são constantes desafios, o que não é diferente na esfera municipal”, frisou o parlamentar.

A proposta das reuniões, quinzenalmente, é que a cada visita em hospitais públicos, seja de responsabilidade da Prefeitura Municipal ou Governo do Estado, como também filantrópicos, possam ser apresentados dossiês com informações atualizadas dos setores da Saúde como exemplo: repasses de verbas, capacidade de atendimento, número de profissionais e as principais dificuldades de cada unidade.

De acordo com o diretor da área hospitalar, no prazo de 60 dias, serão realizados gratuitamente exames de colonoscopia pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os usuários devem agendar antecipadamente as consultas. Após a elaboração de um documento final sobre todas as visitas feitas pela Comissão, serão cobradas respostas dos departamentos responsáveis e prestado o serviço à população de Campina Grande, que deve ser informada de todas as decisões.

Até o momento, já foram realizadas duas reuniões, quando a primeira aconteceu na Secretaria de Saúde, ao lado da secretária Luzia Pinto e a segunda, agora, no Hospital da FAP. Uma nova visita deve ser agendada com o propósito de buscar parcerias e incentivos financeiros para andamento do Hospital.

***Conteúdo de responsabilidade da assessoria

Comissão de Saúde visita o Hospital da FAP para levantar problemas da unidade

A Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Campina Grande realizou nesta segunda-feira  reunião no Hospital da FAP, objetivando levantar os problemas da instituição, abrir o diálogo com o Poder Legislativo e buscar soluções para as questões mais graves junto às autoridades constituídas.

Os vereadores Márcio Melo Rodrigues, presidente; Alexandre do Sindicato, relator; e Rodrigo Ramos, membro; foram recebidos pelo presidente do Hospital da FAP, Helder Macedo, oportunidade em que foi exposta a realidade e as dificuldades da Instituição de saúde que está comemorando 52 anos de serviços prestados à saúde paraibana e regional.

Os parlamentares da Comissão de Saúde escutaram do presidente um amplo relato da situação da entidade, as fontes de recursos para a manutenção do Hospital, os problemas advindos com os parcos recursos financeiros aportados pelos entes federativos e a busca de soluções para as questões mais graves que envolvem a unidade hospitalar.

A Fundação Assistencial da Paraíba – FAP é uma Entidade Filantrópica, fundada em abril de 1965, na cidade de Campina Grande no Estado da Paraíba. Ampliou o seu atendimento ao paciente acometido de Câncer, em 10 de fevereiro de 1999, quando foi inaugurado o “Centro de Cancerologia Dr. Ulisses Pinto”, passando a oferecer um serviço capacitado para o atendimento do paciente, no seu diagnóstico e tratamento, com a realização de Cirurgia Oncológica, Quimioterapia, Hormonioterapia e Radioterapia.

Tem como missão proporcionar saúde à população onde está inserido, com a máxima qualidade nos serviços oferecidos, com o emprego de tecnologia atualizada, com recursos humanos qualificados, buscando sempre o crescimento e consequente desenvolvimento do Hospital da FAP como uma instituição auto sustentável, de forma integrada com a sociedade. E como visão ser reconhecido como Hospital de excelência nas especialidades de alta complexidade – Radioterapia, Quimioterapia e Hemodiálise – e de demais serviços de média complexidade oferecidos à população.

Prega valores: Humildade; Trabalho em equipe; Gratidão aos doadores;Respeito ao ser humano; Responsabilidade social; Ética em todos nossos procedimentos; Amor aos pacientes e ao que fazemos; Comprometimento com nossos valores; Humanização no trato com os pacientes; Honestidade no que pensa, diz e faz.

Os vereadores informaram que visitarão dentre outros órgãos, o Hospital de Traumas, a Secretaria de Saúde do Município, o Hospital Pedro I, o Hospital Universitário, a Gerência da Saúde do Estado, as UPA’s, etc. Eles desejam levantar os problemas existentes atualmente na rede de assistência à população, visando encontrar soluções para as questões que mais preocupam a sociedade e pleno atendimento à comunidade.

***Conteúdo de responsabilidade da assessoria

Galego participa de audiência e classifica proposta de reforma da previdência de “aberração”

O vereador Galego do Leite (PTN) participou de uma audiência pública promovida pela Câmara Municipal de Campina Grande nesta segunda-feira, 27, para discutir o modelo de reforma da Previdência Social que está sendo proposto pelo governo federal. A solenidade atendeu a requerimento proposto pelos vereadores Olimpio Oliveira (PMDB) e Álvaro Farias (PSC) e contou com a participação de representantes de diversas entidades de defesa dos trabalhadores.

Como vem fazendo desde que as discussões sobre a reforma tomaram corpo, Galego mostrou-se mais uma vez veementemente contrário às medidas que estão sendo trabalhadas pelo governo de Michel Temer. “Isso não é uma reforma da Previdência, é uma reforma funeral, que vai penalizar duramente os trabalhadores, sobretudo aqueles mais humildes, que não terão como enfrentar 49 anos de labuta para conseguir a aposentadoria”, criticou.

Galego do Leite lamentou a ausência dos congressistas paraibanos na audiência pública, tendo em vista que serão estes os responsáveis por votar a reforma na Câmara dos Deputados e no Senado.  Por outro lado, destacou a presença de um grande número de trabalhadores rurais: “O homem e a mulher do campo já enfrentam tantas adversidades na luta cotidiana, sendo profundamente desumana a proposta de reforma que também os atinge. Por isso mesmo estão firmes nessa luta”.

No entendimento do vereador, caso a matéria seja aprovada nos moldes do que pretende o Palácio do Planalto, muitos contribuintes morrerão sem ter acesso à aposentadoria. “O brasileiro batalha tanto, pega no pesado, enfrenta a ausência do Estado e de políticas públicas eficientes, aí vem esse pacote de maldades prejudicando ainda mais estes trabalhadores, de modo que nos resta lutar contra e esperar que essa aberração não seja aprovada”, concluiu.

***Conteúdo de responsabilidade da assessoria

Trabalhadores lotam Câmara de Campina para repudiar a Reforma da Previdência

A Câmara Municipal de Campina Grande realizou na manhã desta segunda-feira (27), ás 10 horas, uma Audiência Pública para debater a PEC da Reforma da Previdência. O debate foi proposto pelos vereadores Olimpio Oliveira e Álvaro Farias e contou com a presença de centenas de representantes sindicalistas e seus filiados que disseram um não à PEC e relataram boicotar as eleições de 2018, caso os parlamentares que votem pela aprovação da proposta.

O vereador Olimpio Oliveira destacou a importância da participação maciça dos trabalhadores: “Eu posso dizer de antemão que essa Casa nunca recebeu um público tão expressivo como este. O povo se levantou para dizer não a essa Reforma da Previdência, pois na verdade isso não é uma reforma, mas uma revogação do direito de aposentadoria do povo. Então é importante a gente se mobilizar e Campina deu um exemplo, muito forte de que não aceitamos essa reforma”, disse Olimpo nas  suas redes sociais, destacando que os parlamentares que votarem favoravelmente a proposta serão traidores do povo.

O vereador Álvaro Farias disse que está preocupado com o futuro dos direitos adquiridos dos agricultores: “O agricultor nordestino já é penalizado com as secas constantes, o que prejudica a sua qualidade de vida e traz repercussões para a redução da expectativa de vida. Por isto, o agricultor tem que continuar tendo um tratamento diferenciado e a Reforma anunciada é uma ameaça aos direitos historicamente reconhecidos para o homem do campo”, advertiu Álvaro.

Na discussão sobre a PEC 28/2016 estiveram presentes representantes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba (FETAG – PB), Federação dos Auditores Fiscais, Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Campina Grande, Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência da Paraíba (Sindsprev – PB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato dos Trabalhadores da Educação da Paraíba, Cooperativa dos Transportes Públicos da Paraíba, Sindicato da Saúde da Paraíba, ADUEPB, ADUFCG, UCES, CUF, Sindicato das Escolas Privadas da PB, SINTAB, Sindicato da Construção Civil da Paraíba, Associação dos Aposentados, SINTEFPB, OAB, Sindicato dos Correios, Sindicato dos Bancários, CENTRAC, MST, o deputado estadual Renato Gadelha representando a Assembleia Legislativa da Paraíba, parlamentares da Casa de Félix Araújo e população campinense.

***Conteúdo de responsabilidade da assessoria

Câmara realiza audiência pública para discutir sobre a Reforma da Previdência

A reforma da Previdência Social, proposta pelo Governo Federal, está preocupando os trabalhadores brasileiros e deixando várias dúvidas sobre o funcionamento das aposentadorias caso a PEC 287/2016 seja aprovada. A Câmara Municipal de Campina Grande, preocupada com a qualidade de vida dos cidadãos campinenses, convocou a população para realização de uma audiência pública, proposta pelos vereadores Álvaro Farias e Olímpio Oliveira, para discutir sobre essa proposta de Emenda Constitucional durante a manhã dessa segunda-feira (27).

O parlamentar Olímpio Oliveira agradeceu a todos os trabalhadores que estiveram presente na audiência em busca dos seus direitos, alertando sobre os prejuízos que os brasileiros podem sofrem com a aprovação desse projeto. “Fizemos essa audiência para que todos os que estiveram aqui pudessem ter voz e Campina Grande vai dar esse grito, não podemos aceitar e acatar qualquer coisa que esse governo fizer que crie dificuldade para o povo, isso é um ataque aos direitos dos trabalhadores e precisamos resistir, nos mobilizar”, exclamou.

Segundo o vereador Álvaro Farias, a PEC 287 traz vulnerabilidade para os trabalhadores, principalmente para os agricultores que têm a expectativa de vida menor no Brasil. “As mudanças contidas nesse projeto vão prejudicar as aposentadorias e acentuar ainda mais a desigualdade do país. Haverá fragilidade na aposentadoria rual que agrava a Constituição de 88 e essa PEC retira os direitos conquistados pela classe trabalhadora, especialmente a rural”, afirmou.

Finalizando a audiência, os vereadores e trabalhadores presentes determinaram a construção de um documento, intitulado “O grito de Campina Grande contra a Reforma Previdenciária”, para que seja enviado aos deputados estaduais, federais e senadores da Paraíba para que tomem conhecimento do que foi discutido durante o evento e se posicionem a favor do povo.

Na discussão sobre a PEC 28/2016 estiveram presentes representantes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba (FETAG – PB), Federação dos Auditores Fiscais, Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Campina Grande, Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência da Paraíba (Sindsprev – PB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato dos Trabalhadores da Educação da Paraíba, Cooperativa dos Transportes Públicos da Paraíba, Sindicato da Saúde da Paraíba, ADUEPB, ADUFCG, UCES, CUF, Sindicato das Escolas Privadas da PB, SINTAB, Sindicato da Construção Civil da Paraíba, Associação dos Aposentados, SINTEFPB, OAB, Sindicato dos Correios, Sindicato dos Bancários, CENTRAC, MST, o deputado estadual Renato Gadelha representando a Assembleia Legislativa da Paraíba, parlamentares da Casa de Félix Araújo e população campinense.

Dirp./CMCG